NARIZ

Nesta seção você encontra informações básicas para não médicos sobre a função do nariz e seios da face, além das principais doenças inflamatórias do nariz e seios da face.

Saiba mais

Ouvido

Nesta seção você encontra informações básicas para não médicos sobre a função do ouvido e suas principais doenças.

Saiba mais

Garganta

Nesta seção você encontra informações básicas para não médicos sobre a função da garganta e suas principais doenças.

Saiba mais

Distúrbio do sono

Nesta seção você encontra informações básicas sobre distúrbio do sono e seus efeitos.

Saiba mais

Zumbido no ouvido

Sinônimos:Acufeno, tinnitus, tinido.

O que é?
É um som que esta dentro de nós (dentro da via auditiva) e não ao nosso redor. Pode ser percebido no(s) ouvido(s) ou na cabeça e pode ter uma única ou várias causas. O zumbido não é uma doença, mas um sintoma, uma percepção auditiva fantasma cuja intensidade é impossível de ser mensurada. A percepção do zumbido está relacionada com o aumento dos impulsos elétricos que a via auditiva envia ao cortex cerebral.

Como é?
O barulho (zumbido) pode ser de forma contínua ou intermitente, mono ou politonal, e referido como um chiado, apito, barulho de chuveiro, de cachoeira, de concha, de cigarra, do escape da panela de pressão, de campainha, do esvoaçar de um inseto, de pulsação do coração, etc. O zumbido causa sofrimento? Cerca de 17% da população mundial tem zumbido. A maioria relata o zumbido apenas como um incomodo, outros dizem que certas funções como o sono e a concentração estão prejudicadas. Em sua forma severa, que corresponde a cerca de 20% dos casos o zumbido causa sofrimento. É a queixa principal e frequentemente dramática na consulta médica. Em geral são pessoas acometidas também por outros transtornos, principalmente os de natureza psiquiátrica. O grau de desconforto, intolerância ou incapacidade quase sempre não estão relacionados com o grau de intensidade do zumbido. Os transtornos de humor (depressão, distimia) e ansiedade, frequentemente presentes, exercem fortes influências no agravamento do sintoma zumbido.

Zumbido tem causa?
Nenhuma causa especifica em geral pode ser estabelecida para o tipo comum (subjetivo) de zumbido. Perda auditiva, infecção no ouvido, obstrução do conduto auditivo (cerume), ingestão de determinados medicamentos, exposição prolongada ao ruído, tumor, são fatores entre outros, que podem estar associados com o zumbido. Se for do tipo objetivo ou vibratório (incomum) as causas são vasculares (pulsáteis) ou musculares (clipes).

Como o médico faz o exame?
Ele pede os exames complementares necessários: audiológicos, laboratoriais, eletrofisiológicos e de imagem, e ainda o médico ouve e examina. Atenção especial deve ser dada à vida psíquica do paciente.

Como se trata?
Os pacientes com zumbido severo, agudo ou crônico severo, ou seja, o zumbido que causa sofrimento necessitam do que chamamos de um tratamento/controle, termo usado para referir-se a quaisquer modalidades conhecidas de terapia que oferecem alivio ao paciente de sintomas que o afligem.

Terapia cognitiva/comportamental: baseia-se na modificação do comportamento através da aplicação de técnicas de “descondicionamento”. A finalidade é orientar, ensinar e usar técnicas comportamentais que levam à habituação. Um exemplo de terapia cognitiva/comportamental é a Terapia de Habituação (Tinnitus Retraining Therapy – T.R.T). A T.R.T envolve dois princípios básicos: orientação e terapia sonora (ou acústica)

O retreinamento do zumbido (tinnitus retraining therapy – TRT), criado pelo neurocientista Pawel Jastreboff, usa um som diferente, que tem como objetivo retreinar o cérebro: quando o paciente deixar de ouvir o barulho do aparelho, deixar de ouvir o zumbido também. Isso faz com que o sistema nervoso aprenda a ignorar estímulos sem significado, o que é chamado de habituação. Busca-se o mesmo fenômeno que ocorre com as anêmonas-do-mar: elas se fecham, reagindo a uma gota de água, mas deixam de fazê-lo se as gotas de água tornam-se constantes. A intensidade é ajustada de acordo com cada caso, porém, o ruído do aparelho usado no TRT é igual para todo mundo. Precisa ser usado de seis a oito horas por dia durante um período de 8 a 10 meses.
Um aperfeiçoamento desse sistema surgiu recentemente. Ele mistura diferentes sons, também visando à habituação. A promessa é de que os resultados apareçam um pouco mais cedo, entre 4 e 5 meses de uso. Ainda não há estudos com uma base relevante de pacientes que apontem o percentual de pacientes que se beneficiam com o uso desses aparelhos.
Em resumo, há vários caminhos para tratar o zumbido, e a medicina segue estudando novas alternativas. Então quem sofre com isso não deve dar ouvidos ao conselho de “aprender a conviver com o problema”. Deve sim, buscar as soluções que a medicina oferece.

IMPORTANTE: Estas informações foram escritas para ajudar a compreender melhor o seu problema e complementar as orientações dadas por seu médico, mas não excluem a necessidade de uma consulta médica e nem permitem o auto-diagnóstico e tratamento.

Novidades

Perda auditiva unilateral grave é considerada deficiência, diz TST

Perda auditiva unilateral grave é considerada deficiência, diz TST

perda auditiva unilateral igual ou superior a 41 decibéis é considerada deficiência e garante ao candidato de concurso público o direito de disputar vaga para portadores de necessidades especiais.
Saiba Mais
Exercício de respiração

Exercício de respiração

Exercícios de respiração pode aliviar o estresse e consequentemente o zumbido. Dica: O tempo que você leva para expirar deve ser maior que o tempo que você leva para inspirar. Mas não se esqueça essa dica não exclui a necessidade de procurar um médico especialista em Ouvido. Ligue na Clinica Cian e agende sua consulta […]
Saiba Mais
Você sabia?

Você sabia?

O nariz é um dos componentes das vias respiratórias. Na verdade, é o primeiro local por onde o ar passa até alcançar os pulmões. Dentre outras atribuições, ele é responsável pela limpeza, umidificação e aquecimento do ar inspirado. Para exercer essa função corretamente, o nariz possui um complexo mecanismo de defesa. Por isso, ao entrar […]
Saiba Mais